Projeto Samuzinho promove educação sobre primeiros socorros nas escolas

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Projeto Samuzinho promove educação sobre primeiros socorros nas escolas

Na escola se aprende português, matemática e ciências, mas além disso, através de projetos educacionais, são acrescentadas lições muito importantes como sobre prestar primeiros socorros. Com uma boa orientação, uma criança pode ser responsável pode ajudar a salvar uma vida em risco. Este é o objetivo do projeto Samuzinho, uma iniciativa do Governo Federal, que atua nas escolas da rede municipal de Guarapuava ensinando sobre os serviços do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). “O projeto tem três pilares: educação aos professores, conscientização para as crianças e visita dos alunos a equipe do Samu. Com as crianças conhecendo o trabalho dos profissionais, elas podem contribuir para o atendimento”, explicou o enfermeiro e coordenador do NEP- Samu (Núcleo de Educação Permanente), Franco Bittencourt.

O projeto iniciou em 2013 e já passou por 30 escolas públicas e privadas de Guarapuava, conscientizando, em média, 3.500 alunos do ensino fundamental, com idade a partir dos seis anos. Em cada escola o projeto dura três meses. No primeiro momento a equipe do Samu promove ações educativas através de encontros e palestras para os professores, abordando primeiros socorros e acionamento do atendimento. Depois, o trabalho é realizado com as crianças, que aprendem de forma didática sobre como acionar o Samu, o que fazer em situações de emergências e os perigos da passagem de trotes. Por fim, no último mês, ocorre a visita das equipes do Samu na escola, com os equipamentos e viaturas, reforçando os temas abordados anteriormente.

Após a conclusão do projeto, é realizada uma formatura, onde os alunos levam para casa um certificado e uma camiseta, além da entrega de uma placa à escola classificando a instituição como Amiga do Samu. “Podemos evidenciar uma diminuição de 80% no número de trotes aplicados ao sistema após o projeto. Além disso, realizamos atendimento onde quem acionou o Samu de maneira correta foi um dos alunos que participou da ação”, ressaltou Franco.

Neste mês, a Escola Municipal Capitão Wagner está na segunda fase do projeto. A formatura está prevista para 27 de novembro.

Galeria de Fotos

« Hortas comunitárias promovem integração entre comunidade e profissionais nas UBS

Em Guarapuava, Acig, Hospital do Câncer e Unicentro formatam Instituto de Pesquisa »

Deixe seu comentário:

Nome

E-Mail

Comentários